sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Laboratório de Frenesi.

          Seguindo a linha de raciocínio do primeiro post, vamos manter o foco na Internet. Esta personagem, que assumiu um papel fundamental em nossas vidas, tem grandes habilidades, boas e ruins. Apesar de diversas utilidades positivas com transformações na sociedade, as habilidades ruins da Internet de disseminar práticas e conceitos deturpados são muito mais eficazes na manutenção do nosso sistema social falho e corrupto. A Internet te encanta, num mundo em que tudo é possível, você pode ser quem você quiser, e fazer o que lhe der vontade. 
        Um exemplo disso é o fenômeno dos fakes nas redes sociais. O fake passou a ser desenvolvido com o advento das redes sociais como o MySpace, Facebook, Orkut, Msn, e etc. Ele é um personagem em que o usuário (com média de idade entre 11 aos 18 anos) finge ser uma personalidade famosa, seja um ator, cantor, atriz, personagens de filmes e desenhos animados, de qualquer parte do mundo. Tendo desde laços de amizade, até relacionamentos amorosos, inclusive sexuais (Virtualmente ¬¬').  Ao criar o seu perfil fake, o usuário se integra a um universo paralelo, sem precisar fazer uso de drogas ilícitas SKDASOPAKSOPAKS.

                                                        
Sunny Lee é uma integrante do grupo coreano SNSD de pop music (K-Pop) e é muito utilizada como personagem em fakes.
       
      Neste universo paralelo, a sociedade fake estabelece suas relações humanas virtualmente, em que as identidades reais são esquecidas, e o usuário começa a viver para o seu personagem, criando um grupo de amigos, apaixonando-se, e tendo experiências traumáticas por vezes, somente com  um clique, e com a cara na tela do monitor durante horas a fio. O usuário fake então se desapega do mundo real, onde os valores familiares, o contato com a natureza, com os amigos, a vida social concreta é totalmente desprezada. Nossa juventude fica assim alheia ao mundo real, aos problemas sociais, e prejudica o seu desenvolvimento mental, emocional, sexual, motor, engrossando as listas de sedentários e retardados, que acham que a vida é muito fácil, nem sabem como a realidade é cruel com quem tem esse tipo de cabeça, de vivência. Assim o fake se torna real, e o usuário em sua vida real, se torna fake, sua vida real é uma mentira (DORGAS, e sem fazer uso das mesmas xDDDD)
        A Internet, é vilã e heroína ao mesmo tempo, é capaz de formar uma pessoa culta sim, com a disponibilidade de informações de uma maneira quase infinita sobre Ciência, Religião, Política, enfim, um leque imenso, mas somos direcionados a utilizar a Web e suas ferramentas fantásticas para futilidades. Não vamos deixar o futuro de nosso país, os jovens, se perderem nesse mundo paralelo, vamos mostrar a realidade a eles, divulgue essas idéias aos seus amigos, em sua escola, aos seus parentes, para não termos sérios problemas daqui a uns 10 anos, com gente que não sabe viver, não sabe amar, não sabe contestar.


@vegah131
            

6 comentários:

  1. A cada dia que eu reflito mais e mais fico pensando se vale a pena ter filhos desse tempo em que o psicológico é totalmente manipulado, já passei por essa fase de fake e realmente isso trás consequencias drásticas, comecei a perder minha habilidade social, a cair em depressão, a colocar a internet como base de vida (ainda passo muito tempo mas de longe dou tanto valor a internet) e fazia tudo o que um ser normal faz,só que virtualmente, essa questão do vício de internet é totalmente relacionada ao bullying, essa minha fase de fake foi posterior ao tempo em que eu tinha perdido a amizade com todos meus amigos (o que na época eram cinco) e meio que fiquei sozinho no mundo, com isso a única salvação foi a internet, todos eram muito legais, as garotas também,todo mundo no mesmo navio uns tontos demais,uns tontos de menos mas ainda sim estavam no mesmo barco. Aos poucos fui voltando a ser quem eu era e graças a Deus estou aqui contando isso.

    ResponderExcluir
  2. Naquela época que eu estava tendo aquela vida eu desejava todos os dias sair dali, conhecer gente nova,namorar, até que alguns amigos que foram como anjos da guarda na minha vida me deram a mão,então isso significa que grande parte ali está depressiva e desesperada pra voltar a ser quem era, ninguém já nasce fake, ninguém nasce sem personalidade.

    ResponderExcluir
  3. é verdade velho, ninguem nasce fake, é uma armadilha que a net oferece, correr esse risco é complicado :(

    ResponderExcluir
  4. Mas convenhamos que coisinha mar linda essa da foto *-*

    ResponderExcluir
  5. KKKKKKKKKKKKK leva pra casa po :)

    ResponderExcluir
  6. Ainda bem que eu - mesmo quando pirralha, nunca tive fakes (criei um mas nunca gostei desse mundinho). Já criaram fake meu, só por causa do cabelo colorido que eu tinha, aposto. A galera consegue ser fútil ao extremo, menosprezar a si mesmos, porque se eles usam a imagem alheia é porque a imagem deles não os agrada. Acabam ficando depressivos mesmo.
    Graças a deus isso tá passando, vejo que diminuiu a quantidade de fakes e agora as pessoas que não querem usar suas próprias fotos, usam as de quando era pequeno, de desenhos, de artistas, mas pelo menos dizem quem realmente são.

    ResponderExcluir